Dissertation Writing service Buy Dissertation Online essay writing service cheap essay writing Mestre egresso publica artigo em revista internacional sobre transporte de invertebrados por anfíbios | Programa de Pós Graduação em Ecologia

Mestre egresso publica artigo em revista internacional sobre transporte de invertebrados por anfíbios

Egresso do PPG em Ecologia, Alan Araújo, publica artigo sobre transporte de invertebrados por anuros, associados a bromélias-tanque, em importante revista internacional (Qualis A1 na Capes). A pesquisa, fruto do mestrado do biólogo, verificou se o potencial de transporte dos invertebrados é igual entre as espécies de anuros (sapos) estudadas, além de ver se este transporte ocorre mais em período chuvoso, quente e com alta umidade do ar.

O estudo foi feito em fragmento de Mata Atlântica, em Pernambuco, na Estação Ecológica do Tapacurá. Os anuros eram capturados nas bromélias que eles habitavam e lavados com água pura. Esta água era analisada em microscópio para ver se havia algum invertebrado nela. Além disso, a água acumulada nas folhas das bromélias também era analisada para saber quais invertebrados habitavam ali. Assim, se saberia quais destes utilizavam os anuros como veículo para se deslocar de uma bromélia a outra.

Os principais achados foram que nem todos os invertebrados encontrados na água das bromélias foram encontrados na pele dos anfibios anuros. Como, por exemplo, as larvas de insetos, já que estes possuem fase com asa, podendo voar de uma bromélia a outra. Já dentre aqueles que não conseguem voar, a maioria foi encontrada na pele dos anuros para uma possível dispersão entre as plantas. O transporte ocorreu principalmente em períodos de chuva, com temperaturas elevadas (>28°) e alta umidade do ar (>80°). O tamanho dos anuros também influenciou, aqueles maiores tiveram maior potencial de transporte. Por fim, verificou-se também que o transporte não foi igual entre as espécies de anuros, algumas favorecendo mais que outras.

Como os três grupos de organismos (bromélia, invertebrados e anuros) dependem uns dos outros para sobrevivência, é crucial o entendimento de como a relação entre eles acontece. Assim, biólogos e outros profissionais da área ambiental conseguirão ter embasamento para futuras tomadas de decisões no que é relacionado a estudos de impacto ambiental e/ou mudanças bruscas no clima, por exemplo.

Além de Alan Araújo, o estudo conta com a participação de outros pesquisadores: Alexandre Marques e Alexandre Dantas e foi orientado pelos professores do PPGE, Geraldo Moura (orientador) e pelos coorientadores Mauro de Melo Junior e Moacir Tinoco. Três laboratórios foram envolvidos no trabalho: O Lab. de Estudos Herpetológicos e Paleoherpetológicos – LEHP/UFRPE, Lab. de Ecologia do Plâncton – LEPLANC/UFRPE e do Projeto Herpetofauna do Litoral Norte da Bahia – HLNB. O estudo teve financiamento (bolsa de mestrado a Alan Araújo e verba PROAP), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES.