Dissertation Writing service Buy Dissertation Online essay writing service cheap essay writing Mortalidade do zooplâncton antes do desastre do óleo é tema de artigo aceito em revista internacional | Programa de Pós Graduação em Ecologia

Mortalidade do zooplâncton antes do desastre do óleo é tema de artigo aceito em revista internacional

O egresso Alef Jonathan da Silva teve o artigo oriundo da sua dissertação de mestrado aceito na revista Marine Environmental Research, que possui Qualis A1 na área de Biodiversidade da Capes. O artigo é intitulado “Non-predatory mortality of planktonic copepods in a reef area influenced by estuarine plume”, e tem coautoria do Prof. Dr. Mauro de Melo Júnior, que foi orientador durante o mestrado e atualmente é coorientador de doutorado do egresso, a Prof. Dra. Sigrid Neumann-Leitão e o Prof. Dr. Pedro Augusto Mendes de Castro Melo, ambos docentes da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O estudo faz parte de um projeto que vem realizando amostragem desde 2017, buscando avaliar a produção, herbivoria, estrutura da comunidade e a mortalidade do domínio planctônico. O projeto é vinculado ao Programa Ecológico de Longa Duração (PELD) Tamandaré Sustentável – Dinâmica espacial e temporal dos ecossistemas marinhos: conectividade, resiliência e uso sustentável no sul de Pernambuco, coordenado pela Prof. Dra. Beatrice Padovani Ferreira (UFPE). O estudo também teve apoio do Projeto Recifes Costeiros (SOSMA-Fundação Toyota do Brasil) e do Centro de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Nordeste (CEPENE/ICMBio).

            No estudo os autores utilizaram uma técnica com o uso do corante vermelho neutro, para distinguir os organismos (náuplios: fase larval e copepoditos: fase juvenil a adulto, de Copepoda) que estavam vivos e mortos no momento da coleta, possibilitando a avaliação da mortalidade não-predatória, que é aquela resultante do envelhecimento natural dos organismos, doenças ou de estresses ambientais físicos e/ou químicos. Os resultados apresentados mostram que os valores de mortalidade estavam próximos aos mínimos para ambientais marinhos, já registrados na literatura para outras partes do mundo. Além disso, os náuplios tiveram os maiores valores percentuais, supostamente devido a maior sensibilidade as condições ambientais. Também foi demonstrado que a mortalidade não predatória pode variar entre diferentes condições hidrológicas quando comparadas, ao passo que, foram registrados diferentes valores entre os períodos (seco e chuvoso) e as áreas (baía, pluma estuarina e recifes), bem como o aumento na pluma estuarina no momento de maior fluxo fluvial (período chuvoso). Os autores ainda avaliaram a relação entre a mortalidade não-predatória com as variáveis ambientais e observaram aumento dos valores para algumas famílias de copépodes em elevada salinidade, baixa quantidade de alimento (clorofila-a), baixo oxigênio e pH.

            Para os autores, a importância de avaliar a mortalidade em estudos da comunidade planctônica é a possibilidade de contribuir para a compreensão do real papel ecológico desse grupo nos ambientes marinhos e o melhorar o entendimento do ciclo do carbono, afim de evitar subestimação nas estimativas da parcela disponível no ambiente, para os níveis tróficos superiores, sendo a técnica do vermelho neutro um método confiável para a auxiliar nesse processo. Por fim, os autores mencionam a importância do estudo também por apresentar dados anteriores ao grande impacto ambiental que a costa brasileira sofreu com o derramamento de óleo, com origem ainda desconhecida. A intenção é que esses dados possam servir como base para estudos de monitoramento que avaliam os impactos do óleo na comunidade planctônica em áreas afetadas.